Compartilhar Post
22
May
Smile
GOSTOU?
COMPARTILHE NAS REDES!

dica pregadores

Smile
GOSTOU?
COMPARTILHE NAS REDES!
Compartilhar Post
10
May
Smile
GOSTOU?
COMPARTILHE NAS REDES!

Apóstolo Paulo não usou artifícios humanos para pregar o evangelho, não se aliou aos políticos, não atendeu as exigências dos religiosos, não inventou atrativos para atrair multidões, não puxou saco das autoridades, não fez campanhas para arrecadar dinheiro a fim de financiar seu ministério. …Apóstolo cumpriu a risca o que lhe foi determinado por Cristo, e mesmo dentro das impossibilidades devido suas prisões, aflições, enfermidades, fome, frio, naufrágios….Apóstolo Paulo substimou suas limitações humanas, fez o que tinha que fazer, e fez…mostrou pra mim e pra você que poderíamos fazer muito mais, levando em conta a tecnologia, o transporte e liberdade que temos hoje…
Mas não fazemos, por que almejamos nosso conforto, não temos fé e coragem que ele teve. ..
Apóstolo Paulo sim, renunciou suas vontades e carregou sua pesada Cruz….
hughjackmanjeanvaljean-1024x773

Smile
GOSTOU?
COMPARTILHE NAS REDES!
Compartilhar Post
12
May
Smile
GOSTOU?
COMPARTILHE NAS REDES!

Por Eliseu Antonio Gomes

A Lei de Moisés permitia que o marido israelita repudiasse sua mulher, mas os motivos pelos quais ele podia tomar tal deliberação tinha algumas restrições:
As vítimas de violência sexual e o divórcio na Lei de Moisés
Na cultura judaica, a reputação arruinada de uma virgem era pior que o estupro. O estuprador israelita era obrigado a pagar o dote ao pai da vítima, o mesmo valor que ele receberia quando ela se cassasse em cerimônia convencional, e depois de casado dar-lhe a proteção do casamento sem a possibilidade de divórcio, sendo obrigado a cuidar da vítima e das crianças resultantes dessa união. A obrigação de casar-se com a vítima estuprada garantia a ela não ficar solteira, rejeitada por não ter a virgindade, e também servia como meio de desmotivar o sexo sem compromisso conjugal (Deuteronômio 22.19, 29; 24. 1-4).
Divórcio e novo casamento no Código Mosaico
Eram tidos como problemas graves na sociedade israelita a mulher ser incapaz de gerar filhos, possuir defeito físico, fluxo irregular de sangue durante a menstruação, proceder com descuido durante o período menstrual e no descuido outras pessoas ter contato com o sangue. A pessoa que tivesse contato era considerada cerimonialmente impura, o que impelia a todos a exigir cuidados redobrados   (Levíticos 15.19, 27).
Se um israelita casasse com uma mulher com este perfil poderia assinar um documento de divórcio e mandá-la embora´de casa. E se depois de divorciada essa mulher viesse a se casar com outro israelita e neste segundo casamento ela ficasse viúva ou outra vez ela se tornasse divorciada, o primeiro marido era impedido de reatar laços matrimoniais com a ex-esposa.
Nestes casos, entre os judeus não era errado a mulher casar outra vez. A mulher israelita divorciada de dois maridos  não tinha impedimento algum para casar-se novamente, desde que não fosse com seu primeiro marido (Deuteronômio 24.1-2). O veto ao primeiro marido era uma maneira de coibir aos homens agirem impetuosamente contra suas esposas e de proteger a reputação das mulheres, que poderia ser vista com alguém imoral e de más intenções.
Divórcio e novo casamento na perspectiva de Jesus
Sobre a questão do divórcio, o ensino de Jesus está registrado em Mateus 5.31-32; Marcos 10.2-12; e Lucas 16.18. Jesus reconheceu que em caso de adultério o divórcio possa ser uma triste medida necessária em caso do cônjuge adúltero ter coração endurecido e não se arrepender de sua infidelidade e manter-se infiel, ou de a parte ofendida ter seu coração endurecido e não ser capaz de perdoar o cônjuge adúltero que se arrependeu e se dispõe a voltar a dedicar-se de maneira correta ao laço conjugal.
Jesus deixou claro reprovar a atitude masculina de desprezar a mulher simplesmente por desagradá-lo, mostrou que não era de acordo com a pouca proteção legal que tinham elas. Lembrou aos judeus que o divórcio é contrário à vontade de Deus, sendo o objetivo divino que o matrimônio perdure por toda a vida.
Aos rabis que procuraram Jesus preocupados apenas com a letra da Lei, perguntando sobre divórcio e nova casamento, disse-lhes: “Qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera, e aquele que casar-se com a repudiada comete adultério” – Mateus 5.32. A resposta esclarece a necessidade de se entender o  propósito da Lei e o plano original de Deus acerca do casamento para a raça humana: um homem e uma mulher casados por toda a vida. A intenção do Senhor permanece inalterada ao passar dos anos, não pode ser ignorada por circunstâncias banais, como por exemplo um lapso quanto ao asseio físico individual feminino, a doença, a infertilidade, o ronco durante a noite, o envelhecimento (Lucas 16.16-18).
O divórcio e o novo casamento pela perspectiva do apóstolo Paulo
Paulo, em 1 Coríntios 6.18, abordando as relações sexuais ilícitas nos faz entender que  o adultério, espiritualmente, não é um pecado pior do que outros. Porém, produz um bojo de questões ao casamento que os outros pecados não… (continue a leitura acessando o texto na fonte: Belverede).
.
Eliseu Antonio Gomes
Equipe UBE Blogs
Smile
GOSTOU?
COMPARTILHE NAS REDES!
  • Enquete

    Você dá o dizimo ?

    View Results

    Loading ... Loading ...
  • Palavra Diária

    Abrão, que é Abraão. (1 Crônicas: 1: 27)
  • Links TecnoGospel

  • ASSINE NOSSO FEED

    Receba as atualizações do site diretas em seu email, assine nosso feed:
  • SIGA-NOS NAS REDES
    Turma da bleia
    © Todos os direitos reservados 2014 - Turma da bleia